Prainha vai receber árvores nativas

O total a ser restaurado pela Eletrobras CGTEE será de 3,2 hectares de área de preservação permanente, atualmente povoada com eucaliptos. Os eucaliptos, espécie exótica, serão removidos e substituídos por espécies nativas da região como Açoita-cavalo, Angico,Araçá, Aroeira, Cedro, Cerejeira,Goiabeira,Pitangueira,Ipê amarelo e roxo e muitas outras.

A autorização de corte já foi emitida pela Secretaria do Meio Ambiente de Candiota para a remoção das espécies exóticas para a implantação de floresta nativa na área de preservação permanente da bacia de acumulação da Barragem II.

O cronograma de execução do projeto prevê, entre os meses de junho a setembro de 2013, a remoção das árvores exóticas e plantio de 8.000 mudas na área ,densidade de 2.500 por hectare, com a condução e monitoramento no período posterior.

A execução do plantio será realizada através do convênio celebrado entre a Eletrobras CGTEE e o Instituto Cultural Padre Josimo, mediante a ampliação do projeto na área da Bacia Hidrográfica do Arroio Candiota, com o plantio nas áreas de propriedade da CGTEE localizadas na bacia de acumulação da Barragem II, conforme previsto na cláusula 18ª do TAC.

Esta é a segunda etapa do projeto Árvores Nativas em atendimento ao Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), assinado em 13 de abril de 2011 pela Eletrobras CGTEE com o IBAMA, Eletrobras, Ministério de Minas e Energia, Ministério do Meio Ambiente e Advocacia Geral da União para a adequação ambiental das Fases A e B da Usina Termelétrica Presidente Médici, localizada em Candiota/RS.

Voltar