Incêndio na Torre de Resfriamento na Usina de Candiota

A produção da usina  não foi afetada gerando na sua unidade quatro 109 MW e na cinco 303 MW totalizando 412 MW.

A torre de resfriamento havia sido totalmente reformada em 2009/2010, com investimento da ordem de R$8 milhões.

Existem outras duas torres de resfriamento em operação no Complexo Candiota, uma torre seca em formato de hiperbolóide de revolução que atende a Fase B e outra evaporativa que atende a Fase C, ambas com estrutura totalmente em concreto.

 

A torre de resfriamento cumpre a tarefa de criar a superfície fria no condensador, para que o vapor, após passagem e acionamento da turbina, volte ao estado líquido e seja reconduzido à caldeira para novamente ser transformado em vapor e continuar movimentando a turbina no processo de geração de energia elétrica. 

 

A Fase A está fora de operação com retorno previsto para o início de 2015.

 

Dados da instalação atingida pelo fogo:

Medidas externas da torre de resfriamento: comprimento = 116m; largura = 14,5m; altura 15,5m.

Constituição: 8 células de fluxo cruzado, em madeira tratada quimicamente a vácuo, com dimensões de 14,50 x 14,50 x15,50 m, apresentando:

·                 8 ventiladores, Ø 8 m, 147 rpm, acionados por motores elétricos de 132 KW, 380 V;

·            Vazão de circulação: 22.000 m³/h;

·            Volume total de água, incluindo depósito da torre e galerias: 5.000 m³;

·            Temperatura ambiente bulbo úmido: 26,5°C;

·            Temperatura da água na entrada: 38°C;

·            Temperatura da água na saída: 30°C;

 

 

Voltar